Bialski em Foco



Ministério público investigará acusação ao deputado Eli Corrêa Filho sobre o Rodoanel


O parlamentar Democrata foi citado nas investigações do trecho Norte do Rodoanel Mário Covas.

 

O deputado federal Eli Corrêa Filho (DEM) foi encaminhado na terça-feira (21) para ser investigado pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot. O parlamentar, que teve seu nome ligado à investigação sobre um possível superfaturamento do trecho norte do Rodoanel, possui foro privilegiado.

As obras do trecho iniciaram no ano de 2013, com previsão de inauguração para 2016. Por atrasos comuns a finalização da construção foi prorrogada para o ano de 2018. Por conta da investigação de superfaturamento entre os trechos das cidades de Guarulhos e Arujá, o nome de Eli Corrêa Filho foi citado.

A mulher do acusado, Francislene Assis de Almeida Corrêa, possui terrenos por onde a obra está sendo concluída. No dia 25 de abril de 2016 a justiça determinou que a empresa de Francislene devolvesse R$30 milhões sacados por desapropriação de um terreno. Por ter conta corrente vinculada com a esposa, o deputado Eli Corrêa Filho será incluído nas investigações. Daniel Bialski é o advogado de Corrêa e esposa e está engajado a esclarecer o caso.

Desde o ano passado foi quebrado o sigilo bancário e fiscal de 15 pessoas como juízes, donos de imóveis, peritos judiciais e advogados. Mas o que consta até o momento é que Eli Corrêa Filho e a esposa não participaram das movimentações bancárias detectadas.

“Ela nunca teve conhecimento, participou ou concordou com qualquer atitude ilegal sobre a desapropriação do terreno”, disse Daniel Bialski, advogado de Eli e Francislene. “o deputado não tem qualquer relação com essa discussão”, completou.

 

Fonte: ClickGuarulhos

 

 

 

 

Daniel Leon Bialski

Daniel Leon Bialski, Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e da Comunidade de Juristas de Língua Portuguesa (CJLP). Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas da Seccional Paulista da OAB entre os anos 2008/2009.

Ingressou na banca fundada por seu pai e mentor, o saudoso Dr. Helio Bialski, ainda no ano de 1988, então denominada “Helio Bialski – Advogados Associados”, onde estagiou. Ao graduar-se em 1992, passou a figurar como Sócio do escritório, o qual passou a denominar-se “BIALSKI ADVOGADOS ASSOCIADOS“. Atua nas diversas áreas do Direito Penal, possuindo destacada atuação perante os Tribunais do país. Outrossim, milita na esfera do Direito Administrativo Sancionador, notadamente processos administrativos disciplinares nos órgãos censores de classe (em especial na Corregedoria da Polícia Civil).

Atualmente, Daniel Leon Bialski é Presidente da Sinagoga Beth-el em São Paulo; atua como Secretário-Geral do Clube A Hebraica de São Paulo; atua como tesoureiro da Sinagoga Beith Chabad Central; é Diretor do Museu Judaico de São Paulo; é membro do Conselho de Ética e Conselheiro do Sport Club Corinthians Paulista.

PUBLICAÇÕES:

– BIALSKI, Daniel Leon. In Extradição e Prisão Preventiva; 2008; Dissertação (mestrado em Direito Processual Penal) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Orientador: Marco Antonio Marques da Silva.

– BIALSKI, Daniel Leon. A dignidade da pessoa humana como forma de garantia à liberdade na extradição. In Tratado Luso-Brasileiro da Dignidade Humana. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

– BIALSKI, Daniel Leon. Da nova interpretação do artigo 567 do Código de Processo Penal Brasileiro após a Constituição Federal de 1988. In Processo Penal e Garantias Constitucionais. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.