Bialski em Foco



Trajetória de Daniel Bialski, Secretário Geral da Hebraica – por Glorinha Cohen


Se você for em frente e quiser conhecer melhor o Secretário Geral da Hebraica de São Paulo, logo ver-se-á diante de uma pessoa especial que tem, como poucos, o dom de ouvir e de ajudar quem o procura. Acrescente-se a isto uma grande dose de dedicação aos trabalhos comunitários .

Daniel Leon Bialski, advogado especializado em Direito Penal e graduado Mestre pela Pontifícia Universidade Católica, é também Membro da Comunidade de Juristas da Língua Portuguesa, sócio majoritário do escritório BIALSKI Advogados Associados, foi empossado no começo deste ano num dos mais importantes cargos do clube e tem sob sua responsabilidade direta 102 pessoas.

Nesta entrevista que nos foi concedida especialmente, Bialski fala de seus planos, de sua vida e da campanha para atrair mais sócios jovens. Um verdadeiro presente para aqueles que, como ele, querem que seus filhos usufruam momentos de lazer e de cultura num ambiente da mais alta expressividade judaica, como o da Hebraica de São Paulo.

 

GC – Conte um pouco de sua vida profissional.

Bialski – Sou advogado, especializado em atuação na área Penal e Administrativa Disciplinar, seguindo no escritório fundado pelo meu pai e com quem trabalhei por 24 anos. Meu escritório conta com 11 advogados, estagiários e trabalhamos em mais de 1.500 processos.

GC- Quando começou no voluntariado da nossa comunidade e qual foi seu primeiro trabalho?

Bialski – Iniciei me tornando voluntário da Sinagoga Beth-El, sinagoga que meus avôs e meus pais sempre frequentaram, e hoje com orgulho, ocupo ali o cargo de Presidente, aceitando convite então formulado pelo meu antecessor, Daniel Feffer.

 

GC – Quais mudanças você percebeu em si mesmo após dedicar-se ao trabalho voluntário?

Bialski – Quando iniciei minha vida comunitária entendi que era chegada a hora de me dedicar um pouco às causas judaicas. Muitas pessoas assim agiram e vem agindo e quis ser mais um a poder auxiliar esse tão árduo trabalho. A grande mudança é saber dar valor a tudo que outros fizeram e que merecem enorme kavod.

GC – O que mais o encanta ou o frustra no trabalho voluntário?

Bialski – As dificuldades. Vivemos um momento muito delicado no mundo e o Brasil não é diferente. E não digo isso apenas por razões econômicas. Sociais também. As diferenças aumentam na mesma proporção que os problemas. Essa equação pode ser um tanto quanto danosa.

 

GC – O que significa pra você ser Secretário Geral?

Bialski – É um cargo de tremenda responsabilidade e felizmente digo que tenho comigo alguém tão especial como o Secretário Fernando Rosenthal. Acho que juntos estamos conseguindo dar continuidade ao bom trabalho que foi feito em gestões passadas e esperamos superá-los.

GC – Quais os setores que são subordinados à Secretaria do clube?

Bialski – Sócios, Segurança, recepção(portarias), central de atendimento, sauna, telefonia, agenda/eventos (espaços de locação existentes pelo clube), expedição, Serviço Social, Ouvidoria/Relacionamento e Departamento Jurídico. Hoje temos sob nossa responsabilidade diretamente 102 pessoas.

GC – Quais as dificuldades que tem encontrado até agora para bem exercer seu cargo?

Bialski – Antes já fiz referência dos problemas que existem no Brasil e nosso clube, não é diferente. Com problemas financeiros crescentes e com opções esportivas espalhadas em condomínios e academias próximas às casas, temos nos deparado com desligamento de muitos sócios que querem conter gastos, enfrentar a crise e controlar as contas.

 

GC – O que ainda gostaria de realizar na Hebraica?

Bialski – Não falo no singular. Falo no coletivo. E penso como grupo. Primeiro chegamos, vimos o que deveria ser corrigido e adequado. Agora, passo a passo, orientados por um modelo de razão, nós (eu e o grupo – alguns ocupando cargos na diretoria executiva e outros não), temos muitas ideias e coisas a fazer. Por exemplo, modernizar espaços, dar mais conforto aos sócios, melhorar os serviços, ter ainda mais atrativos, etc.

GC – E na sua vida pessoal?

Bialski – Na vida pessoal tenho que agradecer ao grande Arquiteto do Universo pela família maravilhosa e pelos amigos que tenho. Todos nós temos projetos e o meu, como meus filhos estão crescendo, é poder ajudá-los a superar as difíceis fases da vida que estão por vir. Qualquer carreira e profissão está cada vez mais competitiva, mas não podemos perder a esperança, jamais. Devemos fazer os que nos traz felicidade e essa busca é diária. Há ainda espaço para todos os que se dedicam à vocação eleita e espero estar presente na vida dos meus filhos para auxiliá-los nessa trilha.

 

GC – Qual a mensagem que daria a quem quer ser voluntário?

Bialski – Posso resumir o convite dizendo que toda vez que compareço a eventos na sinagoga e aos sábados na Hebraica posso dizer que saio confortado porque sei que meu tempo não foi em vão. Lembro de uma frase de Einstein que bem mostra o quão gratificante é esse trabalho e serve de convite para quem queira ajudar: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”.

 

Leia a entrevista na íntegra em: Glorinha Cohen – Trajetória de Daniel Leon Bialski

 

Daniel Leon Bialski

Daniel Leon Bialski, Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e da Comunidade de Juristas de Língua Portuguesa (CJLP). Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas da Seccional Paulista da OAB entre os anos 2008/2009.

Ingressou na banca fundada por seu pai e mentor, o saudoso Dr. Helio Bialski, ainda no ano de 1988, então denominada “Helio Bialski – Advogados Associados”, onde estagiou. Ao graduar-se em 1992, passou a figurar como Sócio do escritório, o qual passou a denominar-se “BIALSKI ADVOGADOS ASSOCIADOS“. Atua nas diversas áreas do Direito Penal, possuindo destacada atuação perante os Tribunais do país. Outrossim, milita na esfera do Direito Administrativo Sancionador, notadamente processos administrativos disciplinares nos órgãos censores de classe (em especial na Corregedoria da Polícia Civil).

Atualmente, Daniel Leon Bialski é Presidente da Sinagoga Beth-el em São Paulo; atua como Secretário-Geral do Clube A Hebraica de São Paulo; atua como tesoureiro da Sinagoga Beith Chabad Central; é Diretor do Museu Judaico de São Paulo; é membro do Conselho de Ética e Conselheiro do Sport Club Corinthians Paulista.

PUBLICAÇÕES:

– BIALSKI, Daniel Leon. In Extradição e Prisão Preventiva; 2008; Dissertação (mestrado em Direito Processual Penal) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Orientador: Marco Antonio Marques da Silva.

– BIALSKI, Daniel Leon. A dignidade da pessoa humana como forma de garantia à liberdade na extradição. In Tratado Luso-Brasileiro da Dignidade Humana. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

– BIALSKI, Daniel Leon. Da nova interpretação do artigo 567 do Código de Processo Penal Brasileiro após a Constituição Federal de 1988. In Processo Penal e Garantias Constitucionais. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.