Envolvidos em briga são liberados

Apreendidos desde o dia 19 de setembro, os 3 menores envolvidos na agressão a outro adolescente próximo à Sociedade Hípica de Campinas foram liberados

 

Apreendidos desde o dia 19 de setembro, os três menores envolvidos na agressão a outro adolescente próximo à Sociedade Hípica de Campinas foram liberados ontem pelo juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes. A decisão foi anunciada após os depoimentos de nove das 23 testemunhas convocadas para a segunda audiência sobre a briga que envolve o filho do advogado criminalista José Pedro Said Filho. Entre as testemunhas estava a garota que teria sido pivô do desentendimento e a vítima das agressões.

 

Os adolescentes foram colocados em liberdade assistida. “A decisão foi justa, prudente, ainda mais que a decisão que decreta e mantém a internação está baseada na cautelaridade para que a instrução transcorresse de forma regular, sem qualquer tipo de influência externa ou temor das testemunhas. Encerrada a oitiva das testemunhas, a prisão realmente era desnecessária e foi dessa maneira que o juiz entendeu”, afirmou oadvogado Daniel Leon Bialski, que defende o filho de Said Filho.

 

A oitiva teve início por volta das 14h. Said Filho chegou ao fórum por volta das 11h30 e entrou antes da chegada da imprensa. Na última segunda-feira, o Ministério Público (MP) ofereceu denúncia contra o advogado, que também era investigado por participação no crime. A decisão sobre a liberação dos meninos que estava internados na Fundação Casa saiu por volta das 20h.

 

Bialski chegou por volta das 13h50. A garota foi acompanhada da mãe. Já a vítima, chegou com os pais, uma tia e seu advogado, Pedro Marcolino, por volta das 13h30. O adolescente subiu as escadas do Fórum, protegido pelos pais, que não falaram com a imprensa.

 

Todos foram ouvidos pelo juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes. Na primeira oitiva, realizada no último dia 23, Bialki disse que seu cliente estava arrependido do que fez e nunca negou a agressão. Também falou que o agressor perdeu a cabeça ao ser debochado da vítima.

 

A briga ocorreu no dia 2 de setembro, quando a vítima saía de casa para ir na academia que fica na Hípica. O adolescente mora a cerca de 200 metros da portaria do clube e foi abordado pelos três adolescentes no portão de casa. A briga foi motivada por um beijo, que aconteceu dois dias antes, entre a ex-namorada do filho do advogado e a vítima das agressões. A ação foi registrada pelo sistema de monitoramento da Hípica e as imagens, entregues para a polícia.

 

Said Filho é investigado porque as imagens apreendidas sugerem que ele levou o filho e os amigos, os deixou na casa da vítima, passou para ver e depois retornou e acompanhou do carro a briga. Ele nega envolvimento e defende que só voltou por conta do intuito paterno e que ao ver a briga tentou separar. Ele também afirma que tentou ajudar a vítima.

 

https://correio.rac.com.br/_conteudo/2019/10/campinas_e_rmc/871841-envolvidos-em-briga-sao-liberados.html