Bialski em Foco



Corinthians: Entenda todos os detalhes relativos ao acidente envolvendo Ralf e o que pode acontecer ao volante


Ronivon, motorista de Ralf há cerca de um ano, era o condutor do carro que se envolveu em um acidente na noite de sexta-feira, na Zona Leste de São Paulo.

Quem confirmou a informação ao ESPN.com.br foi Daniel Bialski, advogado que representa o jogador do Corinthians na questão. Bialski também revelou que Ralf e seu motorista ficaram desesperados porque, em 2016 (o advogado não soube precisar a data), o condomínio de Ralf foi invadido por pessoas que queriam sequestrá-lo.

 

“Por sorte, Ralf, que é muito religioso, estava em Aparecida do Norte no dia”, disse o advogado. O jogador tem mais de uma tatuagem com imagens da padroeira.

Em entrevista para este site, Bialskiesclareceu alguns pontos relativos ao acidente que permaneciam como dúvidas.

1. Como aconteceu o acidente?

Ralf, amigos e familiares estavam em um bar, na sexta-feira. Na hora de ir embora, eles se dividiram em dois carros. No da frente, estavam o motorista Ronivon, Ralf, o pai e o irmão do jogador. No de trás, um segurança e um primo.

Segundo Bialski, Ronivon e as pessoas do primeiro carro perceberam a aproximação de um motociclista armado. Desesperado, já que o carro de Ralf não era blindado, o condutor tentou fugir. Neste processo, perdeu o controle do veículo, atropelou Alicio de Castro da Meleira, 68, e colidiu contra uma casa.

2. Por que o condutor fugiu da cena do incidente?

Segundo o advogado, Ronivon, muito nervoso, temeu por sua integridade física, diante dos gritos de populares de que ele teria matado Alicio Meleira. Ele então saiu sorrateiramente do local e se evadiu. Depois, ligou para irmão de Ralf para avisar.

3. Por que Ralf saiu do local? Seu segurança estava armado?

Ralf, diz Bialski, ficou com medo. “O clima que se instalou ali não era favorável. As pessoas estavam agindo até no sentido de uma agressão física”, disse o advogado.

Bialski diz não saber se o segurança estava armado, conforme atestado por testemunhas. “Nos vídeos, eu não vi arma”, diz.

4. Quem se apresentou na delegacia no dia seguinte? Todos passaram por exame toxicológico? Quais os resultados?

Os quatro elementos que estavam no carro de Ralf, incluindo o atleta, foram à delegacia no dia seguinte ao ocorrido e se submeteram a exames para aferir o nível de ingestão de álcool de cada um.

O advogado diz que os resultados ainda não saíram. Mas garante que o condutor não estava alcoolizado.

5. Houve abertura de Boletim de Ocorrência sobre a tentativa de assalto?

Não. Porque não foi possível identificar placa ou características do suposto assaltante e da moto.

“Tudo aconteceu em questão de segundos”, diz Bialski.

6. O que acontece daqui para frente no que diz respeito ao inquérito, já que a polícia definiu o acidente como lesão corporal culposa (sem intenção)?

O inquérito só se torna processo se Alicio Meleira decidir seguir com a denúncia. Pela presteza de Ralf em assumir todos os custos médicos e prejuízos da casa, Bialski acredita que isso não vá acontecer.

Mas, caso aconteça, quem responde o processo é Ronivon, porque ele estava ao volante, segundo atesta o advogado.

Essa definição só vai acontecer quando Meleira tiver alta hospitalar e puder, portanto, prestar depoimento.

https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/6202011/corinthians-entenda-todos-os-detalhes-relativos-ao-acidente-envolvendo-ralf-e-o-que-pode-acontecer-ao-volante