Bialski em Foco



Daniel Bialski Comenta: STF encontra escuta no gabinete de Barroso


Uma escuta pouco menor que uma caixa de fósforo foi encontrado no gabinete do ministro do STF

O ministro Luís Roberto Barroso avaliou o acontecido como algo preocupante, pois é muita ousadia que alguém tenha coragem de colocar um grampo no gabinete de um ministro do Supremo Tribunal Federal, entretanto, o ministro mostra calma e tranquilidade ao dizer que em seu gabinete só recebe pessoas em audiências e conversa com seus assessores sobre processos.

O que lhe preocupa é que alguém saiba previamente qual manobra pretende adotar em algum processo, mas que costuma fazer seus votos à mão, em casa.

O ocorrido será investigado pela Secretaria de Segurança do Tribunal, uma vez que o dispositivo foi encontrado após uma varredura de rotina.

O ministro Barroso além de ser responsável pela execução de penas do mensalão, também foi relator do impeachment.

Consultado sobre o acontecido, o advogado criminalista Daniel Bialski, sócio do escritório Bialski Advogados Associados,  considerou o fato inacreditável. “Além de violação dos direitos garantidos e protegidos pela Constituição, isso é uma afronta ao Poder Judiciário. A modernidade e o avanço tecnológico não podem ser instrumentos de violação e crimes. Todos têm direito à proteção da intimidade e da privacidade”, disse Bialski.

 

Fonte: Conjur

 

Daniel Leon Bialski

Daniel Leon Bialski, Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e da Comunidade de Juristas de Língua Portuguesa (CJLP). Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas da Seccional Paulista da OAB entre os anos 2008/2009.

Ingressou na banca fundada por seu pai e mentor, o saudoso Dr. Helio Bialski, ainda no ano de 1988, então denominada “Helio Bialski – Advogados Associados”, onde estagiou. Ao graduar-se em 1992, passou a figurar como Sócio do escritório, o qual passou a denominar-se “BIALSKI ADVOGADOS ASSOCIADOS“. Atua nas diversas áreas do Direito Penal, possuindo destacada atuação perante os Tribunais do país. Outrossim, milita na esfera do Direito Administrativo Sancionador, notadamente processos administrativos disciplinares nos órgãos censores de classe (em especial na Corregedoria da Polícia Civil).

Atualmente, Daniel Leon Bialski é Presidente da Sinagoga Beth-el em São Paulo; atua como Secretário-Geral do Clube A Hebraica de São Paulo; atua como tesoureiro da Sinagoga Beith Chabad Central; é Diretor do Museu Judaico de São Paulo; é membro do Conselho de Ética e Conselheiro do Sport Club Corinthians Paulista.

PUBLICAÇÕES:

– BIALSKI, Daniel Leon. In Extradição e Prisão Preventiva; 2008; Dissertação (mestrado em Direito Processual Penal) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Orientador: Marco Antonio Marques da Silva.

– BIALSKI, Daniel Leon. A dignidade da pessoa humana como forma de garantia à liberdade na extradição. In Tratado Luso-Brasileiro da Dignidade Humana. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

– BIALSKI, Daniel Leon. Da nova interpretação do artigo 567 do Código de Processo Penal Brasileiro após a Constituição Federal de 1988. In Processo Penal e Garantias Constitucionais. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.