Bialski em Foco



Daniel Bialski Comenta: SSP demite policial preso em Portugal suspeito de traficar 1,7 ton de cocaína


A demissão do investigador Walter José Bernal foi publicada na edição desta terça-feira, no Diário Oficial do Estado. Bernal foi preso em 2010 em Portugal sob suspeita de fazer parte de uma quadrilha de tráfico internacional de drogas.

Na época do crime, Bernal foi detido pela polícia portuguesa com outros quatro brasileiros, suspeitos de levarem 1.7 toneladas de cocaína até Montijo, cidade situada ao sul de Portugal. A prisão aconteceu enquanto o grupo descarregava a droga em um galpão.

O investigador ainda chegou a ser condenado pela Justiça portuguesa, entretanto, o processo foi anulado e com a condenação extinta, Bernal foi solto um ano depois e de volta ao Brasil, retomou suas atividades na 5ª Delegacia Seccional Leste, em São Paulo.

Procurado, o advogado de Bernal, o criminalista Daniel Bialski, sócio do Bialski Advogados Associados, afirmou “meu cliente é inocente. Foi preso por engano pelo fato de estar em viagem de férias em Portugal com a namorada e um amigo, que era investigado por tráfico, e a mulher dele”.

Bialski disse ainda que “Não tem sentido o Walter [Bernal] ser demitido da polícia de São Paulo. Geralmente a corregedoria acompanha a investigação policial em sua decisão”, afirmou. “Mas nesse caso, Polícia Federal e MPF [Ministério Público Federal] pediram o arquivamento da investigação que apurava se meu cliente estaria envolvido com tráfico internacional de drogas por não terem encontrado nenhum indício contra ele”.

 

Fonte: G1 – Policial suspeito de traficar cocaína é demitido

 

Daniel Leon Bialski

Daniel Leon Bialski, Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e da Comunidade de Juristas de Língua Portuguesa (CJLP). Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas da Seccional Paulista da OAB entre os anos 2008/2009.

Ingressou na banca fundada por seu pai e mentor, o saudoso Dr. Helio Bialski, ainda no ano de 1988, então denominada “Helio Bialski – Advogados Associados”, onde estagiou. Ao graduar-se em 1992, passou a figurar como Sócio do escritório, o qual passou a denominar-se “BIALSKI ADVOGADOS ASSOCIADOS“. Atua nas diversas áreas do Direito Penal, possuindo destacada atuação perante os Tribunais do país. Outrossim, milita na esfera do Direito Administrativo Sancionador, notadamente processos administrativos disciplinares nos órgãos censores de classe (em especial na Corregedoria da Polícia Civil).

Atualmente, Daniel Leon Bialski é Presidente da Sinagoga Beth-el em São Paulo; atua como Secretário-Geral do Clube A Hebraica de São Paulo; atua como tesoureiro da Sinagoga Beith Chabad Central; é Diretor do Museu Judaico de São Paulo; é membro do Conselho de Ética e Conselheiro do Sport Club Corinthians Paulista.

PUBLICAÇÕES:

– BIALSKI, Daniel Leon. In Extradição e Prisão Preventiva; 2008; Dissertação (mestrado em Direito Processual Penal) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Orientador: Marco Antonio Marques da Silva.

– BIALSKI, Daniel Leon. A dignidade da pessoa humana como forma de garantia à liberdade na extradição. In Tratado Luso-Brasileiro da Dignidade Humana. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

– BIALSKI, Daniel Leon. Da nova interpretação do artigo 567 do Código de Processo Penal Brasileiro após a Constituição Federal de 1988. In Processo Penal e Garantias Constitucionais. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.