Bialski em Foco



Daniel Bialski Comenta: Comunidade jurídica lamenta morte do criminalista Arnaldo Malheiros Filho


Faleceu nesta terça-feira em São Paulo, o criminalista Arnaldo Malheiros Filho

O advogado criminalista estava internado no hospital Sírio Libanês por conta de um transplante. Seu corpo será cremado após uma breve cerimônia. Malheiros deixa mulher, casal de filhos e um neto.

Malheiros tinha 65 anos e tinha enorme convicção ao dizer que estava na profissão certa: “Gosto da liberdade, tanto que a profissão liberal me dá, como a liberdade das pessoas que eu defendo. Eu não seria um bom acusador e também creio que não sirvo para julgar.”

Atuou em casos de muita visibilidade, como por exemplo o processo do mensalão.

O criminalista também era conhecido pela extensa cultura e pela grande afeição que tinha aos livros. Além de ser um grande contador de casos, era um leitor atento e exigente.

A advocacia criminal não sente somente a perda de Malheiros, mas sofre também com ataques por conta dos clientes que defende.

Daniel Bialski, criminalista e sócio do Bialski Advogados Associados falou sobre a perda de Malheiros, “Um dos ícones da advocacia e que bravamente abrilhantou a nossa classe”.

Fonte: Conjur

 

Daniel Leon Bialski

Daniel Leon Bialski, Mestre em Processo Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2008). Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1992). Membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e da Comunidade de Juristas de Língua Portuguesa (CJLP). Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas da Seccional Paulista da OAB entre os anos 2008/2009.

Ingressou na banca fundada por seu pai e mentor, o saudoso Dr. Helio Bialski, ainda no ano de 1988, então denominada “Helio Bialski – Advogados Associados”, onde estagiou. Ao graduar-se em 1992, passou a figurar como Sócio do escritório, o qual passou a denominar-se “BIALSKI ADVOGADOS ASSOCIADOS“. Atua nas diversas áreas do Direito Penal, possuindo destacada atuação perante os Tribunais do país. Outrossim, milita na esfera do Direito Administrativo Sancionador, notadamente processos administrativos disciplinares nos órgãos censores de classe (em especial na Corregedoria da Polícia Civil).

Atualmente, Daniel Leon Bialski é Presidente da Sinagoga Beth-el em São Paulo; atua como Secretário-Geral do Clube A Hebraica de São Paulo; atua como tesoureiro da Sinagoga Beith Chabad Central; é Diretor do Museu Judaico de São Paulo; é membro do Conselho de Ética e Conselheiro do Sport Club Corinthians Paulista.

PUBLICAÇÕES:

– BIALSKI, Daniel Leon. In Extradição e Prisão Preventiva; 2008; Dissertação (mestrado em Direito Processual Penal) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Orientador: Marco Antonio Marques da Silva.

– BIALSKI, Daniel Leon. A dignidade da pessoa humana como forma de garantia à liberdade na extradição. In Tratado Luso-Brasileiro da Dignidade Humana. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.

– BIALSKI, Daniel Leon. Da nova interpretação do artigo 567 do Código de Processo Penal Brasileiro após a Constituição Federal de 1988. In Processo Penal e Garantias Constitucionais. SILVA, Marco Antonio Marques da (Org.). 1ª edição. São Paulo: Quartier Latin, 2008.