Bialski em Foco



Alckmin diz que não conhecia Paulo Preto, suspeito de ser operador do PSDB


Preso nesta sexta (6), ex-diretor da Dersa é acusado de corrupção nas obras da Rodoanel

 

Mariana ZylberkanMario Cesar Carvalho

 

SÃO PAULO

 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que não conhecia o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, preso na manhã desta sexta-feira (6) sob acusação de corrupção nas obras do Rodoanel.

 

“Na realidade, no meu governo não teve nenhum problema [de corrupção]. Aliás, nós que investigamos. Foi a Dersa que investigou [as acusações de desvio de dinheiro] e levou ao Ministério Público”, disse o governador nesta sexta (6) durante inauguração de quatro estações da linha 10-prata do metrô.

 

Paulo Preto chegou à diretoria da Dersa em junho de 2005, nomeado por Alckmin, governador na época. Na ocasião, passou a ocupar a diretor de relações institucionais da empresa.

Era, porém, um cargo sem muito poder. Em 2007, quando José Serra (PSDB) assumiu o governo paulista, Paulo Preto é promovido para um cargo bem mais importante: a diretoria de engenharia, responsável pelas grandes obras.

 

Ele ficou nessa função até 2010. Tucanos apontam o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, como o padrinho político de Paulo Preto. Tanto Serra quanto Aloysio negam ter recebido recursos ilegais supostamente arrecadados por Paulo Preto em sua campanha.

Em março, a Lava Jato denunciou o ex-diretor por desvio de R$ 7,7 milhões, entre 2009 e 2011. O recurso era destinado ao realojamento de famílias desalojadas pela Dersa para a construção do Rodoanel, obra realizada na gestão do tucano José Serra (2007-2010).

 

Em relação ao decreto de prisão do ex-presidente Lula, Alckmin disse: “decisão judicial se cumpre, se respeita. Todos têm direito à defesa. É constitucional, sagrado. Agora, decisão judicial tem que ser respeitada.”

 

OUTRO LADO

 

Em nota, a defesa de Souza afirma que a prisão do ex-diretor da Dersa não está ligada à Lava Jato e faz parte das investigações sobre supostas irregularidades na construção do Rodoanel Sul.

 

Os advogados Daniel Bialski e José Roberto Santoro dizem que o mandado é uma medida arbitrária, sem fundamentos legais e desnecessária “diante do perfil e da rotina do investigado, sempre à disposição da Justiça”.

 

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/04/alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do-psdb.shtml?utm_source=folha&utm_medium=site&utm_campaign=topicos

 

Reprodução da Folha

 

http://www.gazetasp.com.br/estado/38089-alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do-psdb

 

http://oidiario.com.br/nao-sabe-de-nada-alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do-psdb/

 

https://www.folhape.com.br/politica/politica/politica/2018/04/06/NWS,64415,7,547,POLITICA,2193-ALCKMIN-DIZ-QUE-NAO-CONHECIA-PAULO-PRETO-SUSPEITO-SER-OPERADOR-PSDB.aspx

 

https://www.jornalestacao.com.br/portal/2018/04/06/alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do-psdb/

 

http://www.miseria.com.br/?page=noticia&cod_not=217735

 

http://www.diariodolitoral.com.br/politica/alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do/110838/

 

https://ricmais.com.br/sc/noticias/alckmin-diz-que-nao-conhecia-paulo-preto-suspeito-de-ser-operador-do-psdb